Sexta, 04 de Dezembro de 2020 02:36
18 99746 6403
Polícia Condenado

Em Tupã, homem é condenado a 27 anos de prisão pela morte da ex-mulher

Crime foi em 2017. Assassino não aceitava o fim do relacionamento e matou a ex-mulher a facadas.

10/11/2020 09h42
Por: Redação Guia Online Parapuã - Diogo Oliveira Fonte: Informações Siga Mais
Em 2017 a bancária Débora Goulart foi morta pelo ex-companheiro Ailton Basílio, que não aceitava o fim do relacionamento. (Foto: Reprodução)
Em 2017 a bancária Débora Goulart foi morta pelo ex-companheiro Ailton Basílio, que não aceitava o fim do relacionamento. (Foto: Reprodução)

Em sessão do tribunal do júri nesta segunda-feira (9) em Tupã, Ailton Basílio foi condenado a 27 anos de prisão pela morte da bancária Débora Goulart, ocorrido em 2017. Na época a vítima tinha 34 anos. Ela foi morta a facadas pelo ex-marido, que não aceitava o fim do relacionamento. Eles foram casados por 10 anos.

A sessão do tribunal do júri começou às 9h no fórum da cidade e terminou por volta das 17h.

No dia do crime, em 21 de agosto de 2017, Ailton atacou Débora quando ela chegava em casa, após o trabalho, desferindo três facadas no peito da ex-companheira. Depois do crime, o assassino fugiu com o carro da vítima. O automóvel foi localizado na rodoviária de Maringá (PR). Já o assassino foi preso cinco dias depois no estado do Rio de Janeiro.

A pena do julgamento ocorrido em Tupã é semelhante à aplicada em Adamantina ao ex-agente penitenciário Tiago Pina, condenado a 27 anos pela morte da ex-companheira Vanessa Nery. O julgamento ocorreu no dia 7 de outubro passado.

Ele1 - Criar site de notícias