Sexta, 03 de Julho de 2020 17:08
18 99746 6403
Polícia Polícia

Justiça vê indícios de legítima defesa e solta autor de assassinato que vai responder em liberdade

Vendedor e ex-jogador de Futsal, Carlos César Clápis ganhou a liberdade neste domingo.

15/06/2020 09h42
Por: Redação Guia Online Parapuã - Diogo Oliveira Fonte: Ocnet
Na foto Evandro Kova, morto aos 41 anos
Na foto Evandro Kova, morto aos 41 anos

O vendedor e ex-jogador de Futsal, Carlos César Clápis ganhou a liberdade no final da tarde deste domingo (14). O Judiciário reconheceu indícios de legítima defesa e não viu motivação para mantê-lo preso, após o homem de 53 anos ter matado com dois golpes de faca a Evandro Kova, 41, no sábado (13) à tarde na Avenida Brasil, em Osvaldo Cruz, proximidades da Praça "Lucas Nogueira Garcez".

Os indícios apontam que Clápis estaria sendo ameaçado por Evandro e que apenas teria se defendido de uma agressão que a vítima teria feito contra ele antes do crime acontecer. Testemunhas presenciaram a cena.

Também no sábado mesmo vários indícios vieram à tona que Clápis estaria sendo ameaçado por Evandro e que o autor do assassinato teria agido em legítima defesa ao utilizar uma faca de aproximadamente 19 centímetros.

O caso

Segundo a Polícia Militar, Clápis e testemunhas disseram que já vinha ocorrendo um desentendimento e ameaças entre os dois por causa da separação entre o autor e sua ex-mulher, que atualmente era companheira do homem que morreu.

No dia do crime houve mais um desentendimento e agressão por parte da vítima em relação a Clápis. O autor alegou aos policiais que deu duas facadas para se defender. Evandro foi atingido na coxa.

Durante a briga, o autor também se feriu e apresentava pequenas lesões nos joelhos. Ele foi atendido também na Santa Casa e liberado. A vítima chegou a ser socorrida, mas morreu no hospital durante uma cirurgia.

Ainda de acordo com a polícia, duas mulheres também se feriram enquanto tentavam apartar a briga. Elas tiveram cortes nos dedos, foram medicas e liberadas.

O caso foi registrado pela Polícia Civil como homicídio simples. Clápis permaneceu à disposição da Justiça na Cadeia de Adamantina, até ser colocado em liberdade neste domingo.

 

Ele1 - Criar site de notícias