TOPO
Polêmica

PARAPUÃ - Ao não querer esperar por agendamento de consulta vereador "Mané do Ônibus" acusa mau atendimento e pede transferência de funcionária

Após o ocorrido, a funcionária da unidade de Saúde de Parapuã foi transferida de setor

20/02/2020 19h17Atualizado há 1 mês
Por: Diogo Oliveira
Fonte: Redação Guia Online Parapuã

A equipe de reportagem Guia Online Parapuã recebeu na tarde desta quinta-feira (20) uma denúncia envolvendo o atual vereador Manoel Duarte de Souza, o Mané do ônibus (PTB) e a Funcionária pública Cláudia Pacheco.

Em conversa via telefone a funcionaria Cláudia relatou que a esposa do então vereador Manoel procurou o ESF Dr. Jader Labegalini ao qual ela trabalhava, para passar pela médica de plantão, a fim de que exames que ela realizou em um laboratório particular de Marília (SP) fosse analisado pela doutora. Seguindo o cronograma de atendimento adotado em todas as unidades de saúde municipal, para que a médica plantonista atendesse a solicitação, a consulta teria que ser agendada para uma data futura, já que outros pacientes estariam na fila aguardando a consulta, segundo o que disse Cláudia à reportagem.

Para a esposa do vereador ainda foi dito que, caso algum paciente desistisse do atendimento, ou não comparecesse em dia e hora marcada, que a unidade de saúde entraria em contato.

Após sua esposa não conseguir a consulta, o Vereador recorreu a Secretária de Saúde Regiane Simone Gimenes Fregoneze para informar da situação. Após ouvir os relatos foi feito um contato com Cláudia via telefone para saber “como estaria a agenda de atendimento”.

“A agenda aqui está para o dia 18 ou 19 de fevereiro, tá lotada” disse Cláudia em resposta a secretária de saúde.

Cláudia ainda relatou que a Secretária de saúde questionou se não teria como atender a esposa do vereador.

“O que eu posso fazer é o que faço para todo mundo, ela me traz o exame na segunda de manhã que é dia de gestante, e eu pego com ela e mostro para a doutora, se der alteração e a doutora quiser falar com ela a gente entra em contato” respondeu Cláudia.

O vereador então retornou ao ESF junto com sua esposa. No balcão de atendimento Cláudia solicitou o exame para que ela apresentasse a doutora, quando segundo o que disse a funcionária, o vereador exaltou dizendo que, “Ela não vai deixar o exame aqui, eu vim aqui para ela passar pela doutora”. Ainda de acordo com o relato, Manoel disse que só sairia da unidade após ser atendido, “Não foi isso o combinado” disse o vereador.

Ainda no local o vereador teria se exaltado dizendo que, “Eu quem fiz isso aqui” se referindo a unidade de saúde. Após os dizeres uma discussão teria acontecido também envolvendo outra funcionária do local. Para amenizar a situação foi dito para o vereador esperar todas as gestantes e pacientes agendados serem atendidos, que ao final a médica atenderia a solicitação da sua esposa.

Outra confusão teria ocorrido após Cláudia ligar para uma paciente adiantando consulta a pedido da médica.

Cláudia afirmou a reportagem que o vereador retornou a procurar a Secretária de Saúde Regiane, para que ela conseguisse a consulta para sua esposa.

Entramos em contato com a Regiane que confirmou a ida do vereador com a esposa até o ESF Dr. Jader Labegalini, e que em conversa com ele na secretaria de saúde, o vereador relatou que sua esposa estava com dor.

A secretária de saúde disse também que a funcionária teria dito para que o vereador voltasse na unidade que ela daria um jeito no atendimento, confirmando a versão de Cláudia.

Manoel em conversa com Regiane disse que ele ficou esperando e notou que a Cláudia teria ligado para outra paciente dizendo que a doutora iria atender, motivo pelo qual fez ele retornar novamente a secretária de saúde.

Regiane disse que ao relatar que a esposa dele estava com dor, ela se encarregou de agendar o atendimento com a Doutora Marta no Centro de Saúde Gilberto Miranda Cabral.

 

TRÂNSFERIDA

Cláudia por telefone disse que após o episódio ela entrou de férias, e que ao retornar ao trabalho foi transferida para a creche escola pequeno príncipe. Ela ainda afirmou que o vereador pediu a transferência dela.

 

VERSÃO DO VEREADOR

O Guia Parapuã prezando pelos bons princípios do jornalismo, entrou em contato com o vereador indagando sobre os fatos. Por telefone ele disse que havia diversas reclamações de mau atendimento a respeito de Cláudia.

“Como me atendeu mau eu pedi a transferência dela, porque nós como vereador tem que atender o povo” disse o vereador Manoel.

Ainda por telefone Manoel disse que pessoas procuraram ele a algum tempo e disseram que, “ele constrói um prédio tão bonito com mau atendimento”.

“Até ai eu nunca falei nada, mas como aconteceu comigo vi que era verdade” disse.

Manoel ainda confirmou que pagou para fazer os exames de sua esposa em Marília.

Indagado sobre os fatos ditos por Cláudia ele disse que, “Ela ligou para uma paciente que não era grávida”, o que confirmou a versão de Cláudia, que em denúncia a nossa reportagem disse ligou para adiantar a consulta já marcada a pedido da médica, e que ela pediu para o vereador e sua esposa aguardar as gestantes e pacientes agendados serem atendidos.

Sobre o momento em que Cláudia fez a ligação para adiantar o atendimento da paciente a pedido da médica plantonista, o vereador disse que o correto seria atender a esposa dele.

*TODAS AS CONVERSAS DESTA REPORTAGEM FORAM GRAVADAS

Ele1 - Criar site de notícias